Inicial / Notícias / Semana Vocacional 2020 – Testemunhos – Ir. Laura Gavazzoni

Semana Vocacional 2020 – Testemunhos – Ir. Laura Gavazzoni

Neste mês de agosto, o Serviço de Animação Vocacional da CRB/RS partilha testemunhos de irmãs e irmãos que consagraram sua vida a Deus e a Seu povo.
Neste testemunho, o texto de Irmã Laura Gavazzoni. Envie o seu para que possamos partilhá-lo com mais irmãos e irmãs.

Sou Ir. Laura Gavazzoni, Assistente Social, 73 anos de idade e 51 de Vida Consagrada.
Nasci no dia de São José, meu grande amigo e companheiro.
Sou filha última de 8 irmãos. Natural de Campo Mourão/PR. Minha mãe, Ida Muraro era professora e catequista e meu pai, João Gavazzoni, agricultor e festeiro da Igreja.
Ser religiosa é uma questão de escolha divina e resposta pessoal. Deus usa mediações para fazer seu convite.
No meu caso, eu não pensava escolher esta vocação, mas na adolescência, presenciei a briga de dois irmãos por um prato de comida e fiquei espantada, pois não sabia o que era passar fome. Este fato me levou a fazer menos manha pela comida e a pensar nos pobres, levando merenda para partilhar na Escola. Uma carta da tia Ir. Joana Maria Muraro, religiosa de São José, foi o sinal que apontou o caminho a seguir. Encontrei apoio em mamãe e oposição da parte do papai e dos meus irmãos. Mas aos 13 anos ingressei com as Irmãs, em Garibaldi. Chorava de saudade da família e até os 18 anos, em lugares diferentes, desisti 3 vezes do meu sonho. Mas Jesus Cristo continuava me inquietando e por fim, aos 18 anos, em Porto Alegre, completei minha formação religiosa e profissional, passando a trabalhar como professora, no Colégio Sévigné, atuando também na catequese e liturgia da Catedral. Aí me deparei com pessoas de boas condições financeiras e parecia ter desviado meu objetivo. Mas aprendi a acolher estas pessoas e aproximá-las de grupos menos favorecidos, trazendo para dentro da Escola a experiência do Pão
Comunitário, das CEBs de Canoas. Mães e crianças empobrecidas, vinham falar sobre sua maneira de viver e superar as dificuldades, partilhando com alegria, o pão feito por elas. A resposta não tardou. Mensalmente, com missa no pátio da Escola, alunos traziam os ingredientes para o pão e íamos com eles às Vilas, levando as doações. Descobri então que se pode trabalhar com
ricos e pobres, pois nossa missão como Irmã de São José, é viver e promover a UNIÃO com Deus, com os outros e com o universo, onde se está e naquilo que se faz. Agora, atuando no Projeto Social PROJARI, em Guaíba, de portas fechadas, por causa da Pandemia, com minhas Irmãs de comunidade: Ângela Maria Ribas e Nilva Dal Bello, recebemos doações que partilhamos com as famílias necessitadas, alcançando alimento, agasalho, orientação e conforto. Meu lema de vida é: “Escolher cada dia o que e quem um dia a gente escolheu”. Sou feliz e não me arrependo de seguir Jesus Cristo e seu Projeto de Amor, que inclui Cruz e Ressurreição. Rezo e me empenho para que outras pessoas sigam este caminho, por vezes, desacreditada por muitos, mas que ainda tem sentido.

Guaíba, agosto 2020 – Ir. Laura Gavazzoni

Além disso, verifique

Semana Vocacional – Testemunhos – Frei Daison

Neste Mês Vocacional, o Serviço de Animação Vocacional da CRB/RS compartilha depoimentos de irmãs e …